Blogue de NELSON S. LIMA

Blogue de NELSON S. LIMA
Clique na imagem!

Consulte igualmente o blogue:

Consulte igualmente o blogue:
Clique na imagem!

Superdotados: nem tudo é facil

ENTREVISTA
Arquivo de imprensa


Sofia Castelbranco -Quais são os problemas com que se depara mais frequentemente?
Nelson S. Lima - Sem dúvida, o insucesso escolar. 

No caso específico das crianças sobredotadas, qual é o acompanhamento aconselhado?
- Ajustamos o acompanhamento ao tipo de sobredotação, à personalidade e a outras especificidades (idade, por exemplo) das crianças, sugerindo pistas para um bom aproveitamento integral das altas capacidades ou dos talentos que revelem.

Quais são os principais problemas que estas crianças enfrentam no dia-a-dia?
- Sobretudo o desfasamento que por vezes existe entre as suas capacidades e aquilo que a escola lhes exige. Há dois grandes grupos: as crianças que estão muito adiantadas relativamente ao ano escolar em que estão inscritas (o que pode causar nelas aborrecimento e desmotivação) e as que não gostam da escola por terem preferência por áreas do conhecimento que não estão contempladas no sistema educativo (é o caso das crianças que gostam de estudar determinadas áreas da Ciência como Paleontologia ou Biologia Marinha).

Como é que se identifica uma criança sobredotada?
- Por um conjunto de características onde se destacam a elevada inteligência, a facilidade de aprendizagem, a enorme curiosidade pelo Saber e uma dedicação intensa e fascinada a uma ou mais áreas do Conhecimento, da Arte ou do Desporto.

Como é o adulto sobredotado (em termos de comportamentos, socialização, etc)?
- Uma pergunta difícil. É que tanto há adultos sobredotados bem integrados na sociedade, na família e no trabalho como há aqueles que não foram (ainda) capazes de encontrar o seu caminho e o seu lugar no mundo. Desiludidos e desesperançados sofrem frequentemente de crises existenciais, depressões e outros problemas emocionais.

Que problemas enfrentam os pais de um sobredotado?
- Podem ser vários, diferindo de caso para caso. Muitos pais têm receio que os filhos se desmotivem da escola ou até de estudar. É talvez o problema que mais frequentemente nos colocam.

O sobredotado na escola: quais os cenários possíveis em termos de comportamentos, formas de interacção e desempenho escolar?
- Há crianças sobredotadas que se dão muito bem na escola. Geralmente elas estão entre os alunos que habitual e facilmente obtêm as notas mais elevadas da turma. Outros há que, desmotivados, estão entre os que enfrentam o insucesso escolar crónico. Destaco os designados "sobredotados criativos" que geralmente têm problemas na escola por serem menos hábeis no pensamento analítico e lógico-matemático do que no pensamento criativo. Detestam a aprendizagem muito estruturada pois são influenciados pela sua imaginação, a espontaneidade criativa e o desejo de independência no percurso académico que lhe é imposto pelo sistema. Tornam-se alunos difíceis para muitos professores.

Conte-nos uma história de uma criança sobredotada.
- Lembro-me de uma história dramática. Envolveu uma criança com 6 anos, nascida na Venezuela, filha de emigrantes portugueses. Quando regressaram a Portugal ela falava apenas espanhol e teve muita dificuldade em integrar-se na escola. A professora complicou mais a situação pois achava desconfortável ter uma aluna que só falava espanhol e era muito conversadora. Antipatizou com a criança desde o início e fez-lhe uma autêntica perseguição, ignorando-a e mandando-a sempre calar dizendo-lhe que ela era horrível quando "abria a boca". Acontece que ao fim de dois anos destes "maus tratos" a menina fechou-se nos seus medos e nunca mais falou. Fracassou na escola. Pude reconstituir a história dela com base em documentação oficial derivada de um processo contra a professora entretanto concluído. Quando conheci a jovem, tinha ela 18 anos. Ainda não falava quando a vi pela primeira vez e só tinha o 2º ano de escolaridade. Nunca foi devidamente tratada nem acompanhada até então. Estragaram-lhe a infância e a adolescência e o futuro dela nunca será o mesmo. E, todavia, era uma criança com altas capacidades...Elas ainda estão lá mas estão inibidas pelo terror imposto por uma professora sem escrúpulos há mais de uma década.

Nelson S Lima 
Fonte: minha entrevista à jornalista Sofia Castelbranco, da revista Magazine Grande Informação (2007)